Património Geológico de Portugal

Inventário de geossítios de relevância nacional

Anticlinal do Formosinho

Categoria temática:Evolução tectónica meso-cenozóica da margem ocidental ibérica

Proponente(s):José Carlos Kullberg, Pedro Terrinha, Maria Carla Kullberg

Contacto:jck@fct.unl.pt, pedro.terrinha@lneg.pt, ckullberg@fc.ul.pt

Região:Lisboa

Município:Setúbal Freguesia:S. Lourenço

Área do Geossítio (aprox.):35000 m2

Coord. Geográficas:38.4608333,-9.0169444

Área de protecção:0 m2


Ver no Google Maps

Regime de propriedade:privado

Regime de protecção ambiental:
Incluído em área protegida- Nacional: Parque Natural da Arrábida

Avaliação quantitativa do valor científico (0-100):58.75

Avaliação quantitativa da vulnerabilidade (100-400):205

Justificação do valor científico:
É um dos raros cortes contínuos aflorantes na Margem Ocidental Ibérica onde se observa uma sequência das estruturas responsáveis pela formação da principal estrutura de inversão da Bacia Lusitaniana. Observa-se um corte contínuo do núcleo do anticlinal do Formosinho (responsável pelo relevo da Serra da Arrábida), desde a) os calcários do Jurássico Médio aflorantes no seu flanco normal, b) depois a zona de charneira exibindo estruturas de deformação não homogénea, c) passando para o flanco inverso (único local onde é possível observar este elemento estrutural), com inclinações crescentes, até à verticalização e inversão, já nas unidades pelíticas do Jurássico Superior e d) terminando em falha NNE-SSW da distensão mesozóica, retomada pela compressão cenozóica, numa zona de transição entre rampa lateral e rampa frontal. Esta sequência mostra estrutura vergente para Sul.
São inúmeras as meso-estruturas relacionadas com este contexto tectono-estrutural de dobra flexural, naqueles três “domínios” do anticlinal.
É um dos melhores afloramentos no País relacionado com dobras. É equivalente, em termos de relevância científica e de qualidade de exposição, ao anticlinal do Pomarão, para unidades paleozóicas.
O acesso é directo e apresenta uma qualidade de exposição excepcional. Uma vez que se encontra ao longo de uma estrada, a observação do corte carece de cuidados especiais relacionados com o tráfego rodoviário (intenso particularmente no Verão).

Outros valores e sua justificação:
Excepcional interesse educativo Estruturas constantes dos conteúdos programáticos do ensino não universitário, excepcional interesse para os alunos do ensino superior e facilidade de modelação das estruturas em mesa de deformação analógica.
Os variados aspectos elementos geomorfológicos observáveis constituem factor acrescido de valorização patrimonial do geossítio.
Muito elevado interesse estético, uma vez que se avista, em distância relativamente pequena (atéum máximo de 3 km), a serra do Risco, a arriba Sul da península de Setúbal, em contacto directo com o oceano e as planuras de Terras do Risco, que apresentam um conjunto extremamente belo, multicolor, de formas variadas e com cobertos vegetais também distintos, em função do substracto geológico.

Observações:

FCT Uminho

Copyright 2014 Universidade do Minho