Património Geológico de Portugal

Inventário de geossítios de relevância nacional

Arribas entre Foz da Fonte e Ribeira das Lages

Categoria temática:Bacias terciárias da margem ocidental ibérica

Proponente(s):João Pais, Paulo Legoinha, Pedro Cunha

Contacto:jjp@fct.unl.pt, pal@fct.unl.pt, pcunha@dct.uc.pt,

Região:Lisboa

Município:Sesimbra Freguesia:Castelo

Área do Geossítio (aprox.):810000 m2

Coord. Geográficas:38.4827778,-9.1850000

Área de protecção:0 m2


Ver no Google Maps

Regime de propriedade:público

Regime de protecção ambiental:
Incluído noutros regimes de protecção- Sítio Arrábida / Espichel PTCON0010 da Rede Natura 2000

Avaliação quantitativa do valor científico (0-100):66.25

Avaliação quantitativa da vulnerabilidade (100-400):265

Justificação do valor científico:
A área expõe a melhor sucessão continua do Miocénico marinho de toda a Bacia do Baixo Tejo. O Miocénico assenta através de discordância angular ligeira sobre o cretácico na Foz da Fonte. A arriba desta praia é talhada no Burdigaliano e pode observar-se o registo de várias oscilações eustáticas. Mais a Norte, na praia das Bicas há níveis de condensação ricos de glauconite e fragmentos de crostas fosfatadas do Miocénico médio. Os fósseis são abundantes (moluscos, equinodermes, peixes, cetáceos, etc.). Estes depósitos passam progressivamente a areias finas do Tortoniano bem expostas na Praia da Foz da ribeira da Lage, onde ocorrem concentrações de conchas de Chlamys. O conjunto miocénico termina em superficie erosiva talhada pelas areias do Pliocénico.

Antunes, M.T., Civis, J., González-Delgado, J.A., Legoinha. P., Nascimento, A. & Pais, J. (1996a) - Miocene stable isotopes ??18O, ?13C), biostratigraphy and environments in the southern limb of Albufeira syncline (Setúbal Peninsula, Portugal. Geogaceta, Madrid, 21: 21-24.
Antunes, M.T., Civis, J., González-Delgado, J.A., Legoinha. P., Nascimento, A. & Pais, J. (1998a) - Lower Miocene stable isotopes ??18O, ?13C), biostratigraphy and environments in the Foz da Fonte and Penedo sections (Setúbal Peninsula, Portugal). Geogaceta, Madrid, 23: 7-10.
Antunes, M.T., Elderfield, H., Legoinha, P., Nascimento, A. & Pais, J. (1999) - A Stratigraphic framework for the Miocene from the Lower Tagus Basin (Lisbon, Setúbal Peninsula, Portugal). Depositional sequences, biostratigraphy and isotopic ages. Bol. Soc. Geol. España, Madrid, 12(1): 3-15.
Antunes, M.T., Legoinha, P., Cunha, P.P. & Pais, J. (2000b) – High resolution stratigraphy and miocene facies correlation in Lisbon and Setúbal Peninsula (Lower Tagus basin, Portugal). Ciências da Terra (UNL), 14: 183-190.
Antunes, M.T., Legoinha, P., Pais, J. & Nascimento, A. (1995b) - Biostratigrafia e paleoambientes do Miocénico do flanco Sul do sinclinal de Albufeira (Península de Setúbal). Museu e Laboratório Mineralógico e Geológico, Porto, Memória 4: 25-28.
Antunes, M.T., Manuppella, G., Pais, J. & Legoinha, P. (1998) - Cenozóico. In Carta geológica de Portugal na escala 1:50 000, Notícia explicativa da folha 39-B (Setúbal). Instituto Geológico e Mineiro (Serviços Geológicos de Portugal).
Antunes, M.T., Pais, J. & Legoinha, P. (1992) - Excursion A. Neogene deposits of Lisboa and Setúbal peninsula. Ciências da Terra (UNL), número especial II: 29-35.
Jonet, S., Kotchetoff, Y. & Kotchetoff, B. (1975) - L’Helvétien du Penedo et sa faune ichthyologique. Comun. Serv. Geol. Portugal, 59: 193-228.
Legoinha, P. (2001) – Biostratigrafia de Foraminíferos do Miocénico de Portugal (Baixo Tejo e Algarve). Dissertação de Doutoramento, Universidade Nova de Lisboa, Faculdade de ciências e Tecnologia, 239p.
Manuppella, G., Pais, J. & Legoinha, P. (1994) - Carta geológica de Portugal na escala 1:50 000, folha 39B (Setúbal). Instituto Geológico e Mineiro (Serviços Geológicos de Portugal).
Romariz, C. & Carvalho, A.M.G. (1961) - Formações margo-glauconíticas do Miocénico superior a Norte do Cabo Espichel. Bol. Soc. Geol. Portugal, 14(1): 83-94.
Sen, S., Antunes, M. T., Pais, J. & Legoinha, P. (1992): Bio and magnetostratigraphy of two Lower Miocene sections, Tagus basin (Portugal). Ciências da Terra (UNL), Lisboa, 11: 173-184.

Outros valores e sua justificação:

Observações:

FCT Uminho

Copyright 2014 Universidade do Minho