Património Geológico de Portugal

Inventário de geossítios de relevância nacional

Xenólitos

Categoria temática:Vulcanismo e morfologia do arquipélago da Madeira

Proponente(s):A. Brum da Silveira, S. Prada

Contacto:absilveira@fc.ul.pt, susana@uma.pt

Região:Região Autónoma da Madeira

Município:Porto Moniz

Área do Geossítio (aprox.):20000 m2

Regime de propriedade:privado

Regime de protecção ambiental:
Incluído noutros regimes de protecção- em actualização

Avaliação quantitativa do valor científico (0-100):70

Avaliação quantitativa da vulnerabilidade (100-400):355

Justificação do valor científico:
Entende-se por xenólito ou encrave (do grego – pedra exótica ou estranha) um fragmento de rocha ou associação de minerais que é envolvido por uma rocha maior (rocha hospedeira e mais nova) durante as fases de cristalização e/ou deposição desta última. Os xenólitos e os xenocristais fornecem informações importantes sobre a composição do manto (camada da estrutura da Terra que se prolonga dos 30km aos 2900km de profundidade) e que outra forma é inacessível. As rochas vulcânicas no geral e os basaltos em particular podem conter pedaços do manto que são “agarrados e arrastados” durante a ascensão magmática. Os estudos efectuados nestes xenólitos demonstraram pertencer a um vasto grupo de litologias ultramáficas (dunito, wehrlito, websterito, harzburgitos e lherzolitos) originários do manto superior muito próximos da transição com a crusta oceância. Este afloramento constitui assim um ponto de grande interesse científico e didáctico.
Os xenólitos ou encraves de Porto Moniz são afloramentos raros e de grande beleza devido à presença de agrupamentos monominerálicos de olivina. Possuem vários outros minerais como ortopiroxena e espinela, mas são os cristais verdes de olivina que mais chamam à atenção e que mostram, em massas granulares de 5 a 15cm, uma maior perfeição de formas.

Outros valores e sua justificação:

Observações:

FCT Uminho

Copyright 2014 Universidade do Minho