Geossítios
GEO

Gruta das Torres

justificação do valor científico

A Gruta das Torres é o maior túnel lávico conhecido no arquipélago dos Açores, com 5.150 m de comprimento total e uma altura máxima de 15 m, e deve a sua origem a escoadas lávicas basálticas do tipo pahoehoe emitidas do Cabeço Bravo.
É constituída por um túnel principal de grandes dimensões e por vários túneis secundários, laterais e superiores, os quais, apesar de apresentarem dimensões mais reduzidas, possuem estruturas geológicas muito variadas.
A Gruta das Torres é muito rica em formações vulcanoespeleológicas, de onde se destaca a presença de diversos tipos de estalactites e estalagmites lávicas, bancadas laterais, bolas de lava, paredes estriadas e lavas encordoadas. O chão é constituído por lavas do tipo aa e do tipo pahoehoe, encontrando-se muito bem preservado em grande parte da gruta. As suas paredes são, por vezes, revestidas por depósitos minerais secundários ou tapetes bacterianos, de composição e colorações diversas.

(SRAM, 2005, LIMA, 2007, COSTA ET AL., 2008)

Outros valores e sua justificação

Possui um elevado valor educativo e elevado interesse turístico, sobretudo em termos de turismo de natureza (e.g. espeleologia).
Esta cavidade vulcânica, descoberta apenas no ano de 1990, encontra-se aberta à visitação desde 2005.